Livro de visitas

"comentário"

Victor Hugo 04/03/2014
Veganismo para si
O Veganismo é sim uma atitude que deve ser muito respeitada, afinal, são poucas as pessoas que se sensibilizam com o sofrimento que muitos animais passam. Mas os veganos fazem isso por que? Ou pra quem? Cada vez mais é comum ver veganos dando verdadeiras lições de “moralidade” em pessoas que por motivos seus, ainda não aderiram à um cardápio de acordo com o bem-dito movimento. Não quero aqui dizer que a exposição de ideias que façam as pessoas re-pensarem sua educação alimentar seja ruim, mas existe uma grande diferença entre o proporcionar as pessoas a pensarem em uma ideia de re-educação alimentar e impor isto como a única maneira de você ser melhor do que outros...Veja que quando se tenta impor as pessoas que o “certo” é ser de maneira X e não Y, na verdade você acaba por transparecer atribuir a si, uma “moralidade” elevada, a qual todas as outras pessoas deveriam seguir...E isto acaba por muitas vezes parecer que você não faz isso por você, ou pelo motivo que à meu ver deveria ser o central, que é os animais, mas sim como uma maneira de se considerar “moralmente” mais correto...
Esta imposição que chega a ser extremista em muitos casos, faz com que a corrente vegana seja de certa forma banalizada, já que as pessoas tem uma ideia homogênea do veganismo, mas este existe com muitas particularidades. Sim o veganismo deveria ser banalizado, mas não o veganismo dentro de uma ideia homogênea, e sim, algumas particularidades veganas, como por exemplo a que impõe de tal forma suas concepções que acabam por se tornar um mal, sim um mal, pensemos que qualquer tipo de imposição que chega a ser autoritária deve ser vista, se não como má, mas com muito cuidado...
Talvez nosso fuhrer tenha deixado uma certa herança maldita, sim Hitler e sua doutrina autoritária e doentia, mas a herança que falo esta dentro de todos nós, mas que alguns veganos, parecem se incomodar mais com esta Flatulência que nos atinge...bem, pior do que ser comparado a Hitler, é ter gases fedorentos que nem os dele, se bem que não se sabe o que mais fedeu se foi seus gases ou ele mesmo...
Mas por isso também, certos veganos devem tomar cuidado, para não exalarem odor parecido com o do fuhrer. Estes deveriam sim proporcionar o re-pensar uma educação alimentar, sem impor, fazendo algo para si, e não para os outros, afinal, de que adiantaria tentarmos ser melhor “moralmente” do que os outros...aqui dou a palavra ao GRANDIOSO Nietzsche, que nos diz: “Quer considere os homens com um olhar benevolente ou malevolente, vejo-os todos, e cada um em particular, fazer a mesma coisa: a saber, o que é útil para a sobrevivência da espécie”.
Se considerar “moralmente” mais correto não caberia aqui, já que no fundo, buscamos o mesmo objetivo, aqui a ideia de homogeneidade caberia, somos todos movidos por nossas vidas, e faríamos de tudo para preserva-la...conclui Nietzsche: “ Ora, não é por amor a essa espécie que agem assim, mas simplesmente porque não há neles nada mais antigo, nada mais forte, mais inexorável, mais invencível que esse instinto – porque esse instinto é precisamente a essência de nossa espécie e de nosso rebanho”...
Faça o veganismo para si, e não para os outros. Faça sim, com que as pessoas re-pensem, mas não se deixe cair no abismo da imposição afinal já dizia Nietzsche: “se olhar muito tempo para o abismo, o abismo te encara de volta”...
V.H.

ESCREVER

Victor Hugo 28/02/2014
MAS TU, POR QUE É QUE ESCREVES?

A - Não sou daqueles que pensam com a caneta à mão e menos ainda daqueles que se entregam a suas paixões diante do tinteiro aberto, sentados em sua cadeira e fitando o papel.
A - Eu me aborreço ou tenho vergonha de todo escrito: escrever é para mim como fazer minhas necessidades - sinto repugnância até em falar de forma simbólica.
B - Mas então por que escreves?
A - Ai de mim! Meu caro, dito entre nós, não descobri ainda até agora outro meio de me desembaraçar de meus pensamentos.
B - E por que queres te desembaraçar deles?
A - Por que quero? Mas será que quero? sou forçado a isso.
B - Bem! Bem!

(Friedrich Nietzsche)
Livro A GAIA CIÊNCIA - Editora escala - tradução de Antonio Carlos Braga

Re:ESCREVER

Alanna Souto 28/02/2014
Excelente, Victor! Fundamental reflexão desse grande filósofo sobre o ato de criar e escrever. Obrigada, querido. Jóia rara. ;)

Felicitações

Eric Almeida da Silva 11/07/2013
A equipe está de parabéns. Muito interessante o que vi neste blog. Passarei a ser um seguidor de carteirinha, pois também compartilho das questões abordadas por vocês. Mais uma vez, parabéns pelo excelente trabalho.
Abraços...

o Site da Semeadura

TelmaDoXum. 12/09/2012
Tudo que tem seu próprio e único "estilo", não importa se é Deus ou o Capeta, mas se tem estilo, então já vale a pena. Aqui tem estilo, já basta então por si só.
<< 1 | 2 | 3

Novo comentário