SOB A LUZ DA ESCURIDÃO

05/10/2014 02:50

 

 


fonte: Bastet by Mikey 1964

Por Alanna Souto

Segue uma gata branca que lhe leva em direções retilíneas, corre,brinca, executam tarefas juntas, o animal e a mulher, como se fossem uma , una... A unidade indivisível do arcano da décima primeira parte do ser, ás vezes, conflitantes, outras vezes, harmônicas no domínio de seus instintos, mas desperta de sua intuição felina, olhos brilhantes, pequeninos, escondidos por trás dos vidros, o dom.

Desvia das lombadas, lama e fezes, esquiva-se como um felino astuto e limpo de algumas ruas transcendentais refletidas de áureas sombrias que cruzam seu caminho, por alguns instantes a perseguem, inconformados...

Recolhe-se em si como que sentindo o oculto, concentra e observa. É quando furtivamente percebe o ponto de vela em seu final do ferro do pavio obscuramente incendiando em cima do altar dos seus montes sagrados, de repente um prato de pires que resguardava a vela se parte, refluxo da luta de forças demandadas, o fogo se expande verticalmente, um aviso, trava-se a guerra, anjos, guias e orixás combatendo algum ego descontrolado de poder, paranóico, vazio e cego. Alguém poderia dizer forças do Mal, mas estaria sendo injusto com esse senhor que tem verdadeiros infernos a se ocupar e almas bem mais ardilosas a mirar...talvez Mefistófeles esteja mais ocupado nesse momento com as eleições no Brasil.

E do descontrole ou desespero humano qualquer por aí em pele de cordeiros brincando de Voldemort, a grandiosidade de alguém indefinível e não há ninguém mais poderosamente supremo do que aquele que dos mistérios celestiais tudo criou, o escudo do seu abraço, asas dos seus soldados, as emanações de suas divindades, mãos condutoras, caciques de sua obra-prima atiram flechas de defesa na blindagem da sagrada árvore da vida lhe ocultou de todo ataque.

Nada lhe atingiu ou atrapalhou, a carruagem não parou, prosseguia alegre e resignada, a não ser algum incômodo dos vestígios dessa luz da escuridão que espantou seu felino num curto momento, ocasionando-lhe dores de cabeça que perturbou por alguns instantes até finalmente adormecer, expandiu-se entre os mares, voou entre as nuvens, foi até o sol que lhe retribuiu com um sorriso, beijou uma estrela cadente e fizeram amor intergaláctico, desatou os nós doloridos da ilusão, arrancou-lhe do peito a faca de toda língua traiçoeira e lhe prometeu em breve se materializar em terra para que consumasse sua união, de mãos dadas seguiriam, há mais revoluções por fazer, Omnia Vincit Amor et nos cedamus amori ...

Despertou ao som de gemidos do felino que retornara e a certeza de toda fome ainda a ser saciada. 

Tópico: SOB A LUZ DA ESCURIDÃO

Nenhum comentário foi encontrado.

Novo comentário