NOTA DE ESCLARECIMENTO AO Programa ‘ETC. e TAL'- SBT

12/09/2012 01:26

Nota de esclarecimento ao Programa ‘Etc. e tal’- SBT:

 

Prezada Ursula Vidal,

No último sábado, 8 de setembro do corrente ano, foi exibida uma reportagem no seu programa ‘Etc. e tal’ com um pai de santo, creio do culto religioso ‘Tambor de mina’, o qual fez algumas considerações deveras distorcidas, se não digo mesmo equivocadas a respeito das entidades que perpassam o culto. Apesar de ser militante da umbanda sagrada, adepta da T.U.L.O, sentir-me ofendida, assim como os outros irmãos do templo que assistiram a reportagem.

 

A umbanda é uma religião milenar no que se refere seu tempo de organização no plano astral e universalista, ou seja, sua matriz não é afro como muitos pregam por ai, alicerça-se em várias linhas espirituais, desde elementos do catolicismo, kardecismo, esoterimos, xamanismo, afros, perpassando a linha da Mina que cultuamos por meio da manifestação dos encantados da Amazônia, a citar as ‘três irmãs da língua ferina’: Cabocla Mariana, Cabocla Herondina e Cabocla Tóia Jarina, além de muitas outras vertentes da espiritualidades.  Universalmente a umbanda sagrada e de lei não sacrifica animais ou muito menos cobra pelos seus trabalhos espirituais, todos são de cunho caritativo em prol do desenvolvimento interno e do próximo.

 

Sabemos que tanto os cultos afro-religiosos [candomblé, tambor de mina, Omoloko, Cabula, dentre outros] quanto a Umbanda são religiões que não possuem uma ‘Bíblia’ como livro sagrado oficial ou muito menos estão subordinadas a ‘Igrejas’ ou algum ‘Vaticano’, não sendo assim religiões institucionalizadas. Cada terreiro ou tenda, portanto, é uma ‘tribo’ subordinada a um chefe, pai ou mãe de santo, os quais desenvolvem trabalhos em suas casas de santo por meio de uma metodologia própria, de acordo com o mentor espiritual daquele templo. Contudo isso não desfaz o fato dessas religiões possuírem princípios e éticas universais que as ligam, as unificam e as aproximam enquanto religiões que trabalham com a magística divina a partir do contato mediúnico com mestres e mestras de reinos divinos, a exemplo dos ‘encantados’ e sua ‘banda de lei’, os Exus, que descem ao plano terreno para orientar, limpar, executar trabalhos de cura e libertação, desfazer trabalhos de baixa magia, respeitando o livre-arbítrio humano e guiados pelo ‘Deus, pai, o criador’. Ou seja, para fazer o BEM.

 

Seguindo então esta perspectiva universal da ética divina a distorção proferida pelo pai de santo na matéria do último sábado ao programa ‘Etc. e tal’ foi exatamente quando apresentadora do programa fez a pergunta ‘Os exus fazem bem ou mal?’ E o referido pai de santo respondeu que essas ‘entidades fazem tanto bem quanto mal’, assim como os ‘encantados’, estão à disposição dos desejos humanos, apesar de orientarem os ‘prós e contras’ de uma situação, irão fazer o que a pessoa está lhe pedindo, como se tais entidades fossem o ‘gênio da lâmpada’ a mercê de caprichos humanos, tal afirmação não é só errônea, mas vai à contramão da missão divina genuína as quais executam esses mestres da espiritualidade no mundo terreno.  

 

Caboclos da encantaria, Pretos velhos e erês [entidades que se manifestam na roupagem de ‘criança’] são trabalhadores que ascenderam à mestria divina e muitos se quer pertenceram a evolução humana sendo originários de reinos divinos [o mundo real], de nenhuma forma fazem trabalhos que irão mexer com o livre-arbítrio de quem que seja, a citar: ‘amarrar’ marido ou esposa, trazer pessoa amada de volta, tirar emprego de alguém ou até mesmo matar...quem faz isso são espíritos malignos que se utilizam da roupagem desses guias de luz já conectados num zelador, pai ou mãe de santo que não mais se deixa guiar pela ética da verdadeira luz divina, mas sim já estão sendo orientados pelas ‘trevas’ na busca do reconhecimento pessoal e  no enriquecimento material a todo custo. Sendo assim tanto o zelador [a] quanto o ‘paciente’, ou melhor, dizendo nesse caso, o cliente, estarão se comprometendo com as mais baixas energias e certamente irão ter que prestar conta para com os tribunais cármicos, pois a justiça divina diferente da nossa terrena não é cega.

 

Sobre os ‘Exus’ é importante fazer aqui, também, um rápido esclarecimento, sendo essas entidades as mais ‘amaldiçoadas’ pela visão leiga popular, vistas por aí com chifres ou no caso das ‘Pomba-giras’[exus da polaridade feminina] como entidades associadas à vulgaridade, promiscuidade, a todo tipo de desvio sexual... Obviamente, mais um equívoco fruto de preconceito, da falta de conhecimento a respeito dessa tão importante ‘banda’ espiritual para a defesa da humanidade e do universo.

 

Os Exus são os nossos guardiões, nossa polícia divina que irá nos resguardar daqueles males mais sombrios da vida terrena e astral, até em questão supostamente simples nos dando sua proteção da violência e marginalidade no dia-a-dia durante nossa caminhada nas ruas, em bares ou na noite. Além de abrir os caminhos da espiritualidade e mesmo da vida material, de acordo com a misericórdia divina, portanto, é um agente da lei, um executor da lei, subordinado ao Orixá regedor da ordem, Ogum, no âmbito da umbanda. Sendo preparados nos reinos iniciáticos, seus corpos espirituais são habilitados para adentrarem com facilidade das trevas a luz, nos umbrais mais densos, aonde só eles podem adentrar, executando a lei, segundo os desígnios divinos somente e não aos caprichos humanos.Antes de tudo nos ajudam em nosso equilíbrio espiritual ,emocional e material, dando-nos axé e proteção.

 

Finalizo o questionamento solicitando ao programa ‘Etc. e tal’ e a apresentadora que comanda o programa, a jornalista Úrsula Vidal, a oportunidade de fazer uma reportagem de contraponto à matéria do último sábado, visitando um templo sagrado que pratica a magia sagrada sob o viés da ‘Lei divina em ação’, a T.U.L.O com intuito de desmistificar preconceitos e distorções que envolvem as entidades, a ritualística e as tarefas praticados por todos aqueles trabalhadores,mães e pais de santo, médiuns, filhos de fé que militam em prol da caridade, da reforma interna, cura e libertação da humanidade, consequentemente por um mundo mais justo, afinal a ‘revolução’ é de dentro pra fora.

 

Saravá!

 

Alanna Souto

10-09-2012

Tópico: NOTA DE ESCLARECIMENTO AO Programa ‘ETC. e TAL'- SBT

Jesus.

Priscila Rodrigues 30/09/2016
O sangue de Jesus tem poder!!!!!

NOTA DE ESCLARECIMENTO AO Programa ‘ETC. e TAL'- SBT Leia mais: http://semeadoresdaumbanda.webnode.com/news/nota-de-esclarecimento-ao-programa-etc-e-tal-sbt-belem/ Crie seu site grátis: http://www.webnode.com.br

Camila Santos Tolosa Bianchi 26/03/2013
A ignorância é o motor da violência e das guerras.
A utilização dos meios de comunicação exije responsabilidades e respeito pela diversidade, dignidade e liberdade.
abaixo a tirania dos meios de comunicação ignorantes e corruptos, sua estrutura está cheia de lama e demência.

Re:NOTA DE ESCLARECIMENTO AO Programa ‘ETC. e TAL'- SBT Leia mais: http://semeadoresdaumbanda.webnode.com/news/nota-de-esclarecimento-ao-programa-etc-e-tal-sbt-belem/ Crie seu site grátis: http://www.webnode.com.br

Alanna Souto 05/04/2013
Oi, Camila. Grata pela visita e pela observação registrada. Certamente, os meios de comunicação deveriam ser mais cautelosos ao tratar de questões ainda poucas esclarecidas e vistas com preconceito por grande parte da sociedade civil, em especial, quando se tratar de religiões de raiz não eurocêntrica, a exemplo da umbanda e das religiões de matriz afro.
Em todas as religiões tem seus embusteiros, por isso devemos ter cautela em buscar as fontes,sobretudo, em profissões como Jornalismo e História, que necessitam tanto de fontes, sejam orais, documentais, dentre outras, todo cuidado é pouco. Oh, mas o Etc e tal., entrou em contato comigo e prestou seu reconhecimento diante dos esclarecimentos feitos. A jornalista Ursula Vidal nesse sentido é muito comprometida e aberta para ouvi as diversas óticas espirituais,importante registrar q ela foi muita receptiva e se colocou a disposição na época, enfim....contudo, "o mundo gira", e alguns meses depois passei por um rompimento com esse templo e a matéria acabou não sendo feita. Bom, mas de fato, a mídia empresarial no geral é vil. Como ilustrei, salvo raras exceções. Abração, volte sempre! Axé.

Novo comentário