MATERNIDADES LIBERTADORAS

08/05/2016 12:47

 

Imagem/fonte: Isabelle dos santos do blog http://ashtarsheran14.blogspot.com.br/

Por Alanna Souto

Amor uterino

Gestadas no calor das emoções

Da língua ferina

Do esfregar dos corpos

E do toque das mãos

A cura da nossa contracepção

Do sangue machista derramado

Do aborto provocado pelo patriarcado

Da desinvenção de nós

Fêmeas, amantes, mães, filhas e companheiras.

Mulheres úteros que se abrigam

(Re) inventam-se

Fecundam-se

Sem coitos interrompidos

Sem espermatozoides.

Apenas óvulo e útero 

Eu e você

Dentro uma da outra

Cheias de (a)fetos

Grávidas de nós mesmas

‘Macho-fêmea’, geminis da Oni beijda.

Acasaladas em nosso ventre amazônico

E das vibrações douradas-ouro de outubro

Libertadoras,

(Re)nascemos.

 Eu sei que vou te amar, queridx.

Amo-te.