Microcontos

24/08/2017 01:24
Ora, menina moça Em altas horas, mulher anciã. Guardiã que me guia Inspira... Vento que me acalma E que me descompensa Equilibra. Feiticeira lunar, Sombra que me vigia Da face misteriosa Faz seu fundamento Encoberta no veludo Do seu capuz vermelho Esvai-se no ar. Ultrapassa muros. Abre suas...
19/07/2017 00:31
Sonhar fazendo amor gostoso com uma paixão daquelas amadurecidas, não me importaria, pois ultimamente tem sido tão leve os sonhos com ela, eu a acolho e a gente fica juntinha de mãos dadas na cama. Outra vez eu sonhei escutando as batidas do coração dela, eu passava as mãos pelos seus lábios da...
16/04/2017 14:08
O sol marciano, o princípio masculino... O progenitor que guia Bastet, Ora encoleirada, Ora na cova dos...
11/12/2016 13:15
  Em uma das minhas viagens oníricas, preparando-me para adentrar na espaçonave do útero universal, quando me despindo da minha alma tempestiva na serenidade da minha morte noturna de rosa sonolenta, esvaindo a polaridade Yin, eu me reencontrei, a minha outra face paradoxal, não era dia ainda,...
16/07/2016 15:31
  por Alanna Souto ...sinto uma alegria, um bem estar, uma paz, ao mesmo tempo parece que algo morreu dentro de mim, como se agora eu estivesse com o coração aberto e preparado para um novo ciclo, de um viver, um morar junto. A orgásmica reciprocidade no ato de receber e dar, dois inteiros...
12/02/2016 14:32
  Remo desde sua morte não curte Marte, mas a culpa foi do seu irmão gêmeo Rômulo que apenas estava praticando defesa pessoal . E assim o Caim do Rio tibre desencarnou. O planeta vermelho apenas sorria diante do espetáculo cármico da lei de Newton.  Contudo uma das filhas de Remo, a...
19/12/2015 23:17
  Lampeja a mente Lateja o pulmão As mentes, mentem? A criação, não. Faz-se os rascunhos Esvazia o coração Em três batidas Abrem-se as portas Da nova obra.
19/12/2015 22:22
 _  Vá ainda está no leito nos últimos suspiros seu algoz, diga-lhe algo para acalentar seu sofrimento... _ Você fez sua própria cama. Bom sono.
08/08/2015 20:08
Abelhas rainhas que cuidam de sua colmeia, cantam e se unem entre os labirintos do tronco real ancestral, a grande avó, a guardiã real. Envolve a princesa rebelde, reveste-a em todo mel e a resguarda até o inevitável novo desatar de nó da rebeldia só, voando em direção do seu casulo de multidões de...
08/08/2015 19:58
Sei que é meu lar quando o mergulho em domicílio é profundo e belo. O lar essa vagina gigante que nos acolhe interinamente. De temperatura regulada pelas emoções dos seus habitantes, filhos e filhas envolvidos no seu útero quente e úmido. Quando bem regulado o termômetro, ninguém se afoga, vive-se...
1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>