Bem-vindo ao site Semeadura

 

A umbanda é uma religião genuinamente brasileira e por ter influência forte da raiz afro é comumente enquadrada como uma religião de matriz africana. Contudo, estudos mais recentes, a exemplo dos trabalhos do sociólogo Lísias Negrão e do cientista da religião Alexandre Cumino que irão analisar a matriz dessa religião a partir do seu campo simbólico universalista, reconhecendo a influência dos mais diversos matizes culturais, o kardecismo, o catolicismo popular, a cultura afro, o xamanismo, o esoterismo, dentre outras vertentes espirituais que permeiam a constituição filosófica e ritualística da umbanda.

O semeadura engaja-se nesse sentido nas trincheiras das mídias de resistência no combate do preconceito sobre a cultura popular brasileira, miscigenada e sincrética na qual a Umbanda será o espelho de toda essa brava gente do país — assentada numa forte identidade, estética, linguagem, manifestações e representações dos espaços vividos dos povos ancestrais indígenas ; dos caboclos amazônicos ; dos sertanejos nordestinos e das comunidades negras rurais e urbanas — durante muitos séculos silenciada em suas trajetórias históricas. Portanto, atuando no campo da liberdade religiosa, exorcizando todo tipo de fundamentalismo e fanatismo religioso.

Leia mais: http://www.semeadura.com/news/a-umbanda-na-midia/

 Dos velhos parêntesis da AHUM BHAN DHAN - Muito se fala do poder da palavra, contudo poucos a germinam visando o debate, o esclarecimento ou para os mais ousados a libertação, não se trata aqui de convencer quem quer seja das ideias que serão levantadas ou muito menos de apontar caminhos, trata-se ,sim, de compartilhar aprendizados, buscar semear a palavra sagrada da ‘Lei divina em ação’ a partir de diversos preâmbulos, focalizando em questões que envolvem o ser humano em suas diversas identidades, alteridades ou afinidades visando sempre à autotransformação, aliás, a verdadeira revolução é a da alma, será essa que sacudirá o mundo para seu justo despertar, sem perder de vista a arte, a musicalidade, a (sub)literatura dos microcontos, diálogos y otrás cositas más,sempre com senso de humor e sarcasticidade... Afinal a ‘semeadura’ apesar de laborativa, pode ser prazerosa e divertida, assim como diz a canção:

 

Semeadura

Kleiton e Kledir

Nós vamos prosseguir, companheiro 
Medo não há
No rumo certo da estrada
Unidos vamos crescer e andar
Nós vamos repartir, companheiro
O campo e o mar
O pão da vida, meu braço, meu peito
Feito pra amar.

Americana Pátria, morena
Quiero tener
Guitarra y canto libre
En tu amanecer
No pampa, meu pala a voar
Esteira de vento e luar
Vento e luar

Nós vamos semear, companheiro
No coração
Manhãs e frutos e sonhos
Pr'um dia acabar com esta escuridão
Nós vamos preparar, companheiro
Sem ilusão
Um novo tempo, em que a paz e a fartura
Brotem das mãos

Americana Pátria, morena
Quiero tener
Guitarra y canto libre
En tu amanecer
No pampa, meu pala a voar
Esteira de vento e luar
Vento e luar

Minha guitarra, companheiro
Fala o idioma das águas, das pedras
Dos cárceres, do medo, do fogo, do sal
Minha guitarra
Tem os demônios da ternura e da tempestade
É como um cavalo
Que rasga o ventre da noite
Beija o relâmpago
E desafia os senhores da vida e da morte
Minha guitarra é minha terra, companheiro
É meu arado semeando na escuridão
Um tempo de claridade
Minha guitarra é meu povo, companheiro

Americana Pátria, morena
Quiero tener
Guitarra y canto libre
En tu amanecer
No pampa, meu pala a voar
Esteira de vento e luar
Vento e luar.